A Vila Romana,de André Brett

a época de ouro dos clássicos masculinos
O falecimento de André Brett esta semana trouxe a lembrança da época de ouro do clássico masculino no Brasil.Iniciando a empresa no bairro da Vila Romana em São Paulo,por volta dos anos 70,depois se transferindo para uma grande fábrica na Via Anhanguera,a Confecção Vila Romana marcou época.
André percebendo a importância das grifes na Europa,trouxe para o Brasil e representou marcas como Cardin,Calvin Klein,YSL,Dior ,Armani,Zegna,Dolce & Gabbana,dentre outras.
Na época de ouro da empresa chegou a abastecer mais de 3000 lojas no Brasil e teve mais de 7 000 funcionários.Era muito considerado pela imprensa da época,que incensava a VR,junto com a Camelo,depois a Tweed ,que marcaram época na moda clássica masculina,quando usar terno era o "must" do chic para o homem. Minhas visitas à fábrica da Vila Romana eram frequentes,junto com o editor chefe da moda masculina na Editora Abril,Fernando de Barros,que era o padrinho fashion da VR.Quando fui produtor de moda da Vogue Homem,em fins dos anos 70,a Vila Romana e suas marcas eram imprescindíveis na revista,cujo estilo clássico era uma exigência do editor,Luis Carta.
Acompanhei também a inauguração da loja Armani nos Jardins,que foi um acontecimento no mundo chic da época...Em 1992 ,a empresa foi vendida ,após a grande crise do mercado após Plano Color.
A ùltima iniciativa de André Brett foi a loja Canali no Shopping Cidade Jardim.
Um grande empresário,um homem de visão,uma estrela fashion que se apagou,junto com a crise que  tem violentado  o mercado de confecção no Brasil.
Diaulas Novaes, o editor

Compartilhar


Fotos